“Pressão Alta” também pode atingir crianças e adolescentes ??

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera a hipertensão arterial um problema de saúde pública, uma vez que o número de casos não para de crescer.

A pressão alta em crianças age na surdina,por isso é chamada de “mal silencioso”.

Filhos de pais hipertensos devem redobrar os cuidados com a prevenção desde cedo, porque pressão alta é uma doença hereditária, crônico-degenerativa que ataca os vasos sanguíneos e pode provocar lesões graves no coração, cérebro, rins, e outras grandes artérias do nosso corpo, outros fatores como o estresse e o alto consumo de alimentos como pão, refrigerantes e salgadinhos, também são vilões, pois esses alimentos possuem alta quantidade de sódio e o consumo vem sendo intensificado com as campanhas de marketing.

 

SINTOMAS:

A pressão arterial elevada raramente causa sintomas em crianças, adolescentes, os sinais mais aparecem comuns são:

Dor de cabeça, tonturas, falta de ar, zumbido no ouvido, visão embaçada, sangramento nasal e cansaço.

DIAGNÓSTICO:

Inicialmente devem ser realizados hemograma completo, velocidade de hemossedimentação (VHS) e proteína C reativa (PCR), uréia, creatinina, eletrólitos e sedimento urinário.

Em caso de adolescentes obesos, procedemos à avaliação de colesterol, lipoproteína de alta densidade (HDL), lipoproteína de baixa densidade (LDL), triglicérides, ácido úrico, insulina basal e glicemia de jejum.

Uma medida isolada com valores alterados não é suficiente para fazer o diagnóstico de hipertensão arterial. Muitas vezes, o aumento da pressão é transitório e pode ser conseqüência da “síndrome do avental branco”,ou seja,o simples fato de estar no consultório, diante do médico, basta para a pressão arterial subir, independentemente da idade. Por isso, crianças e adolescentes só podem ser considerados hipertensos depois de que três medições consecutivas realizadas em ambientes e situações diferentes confirmem o aumento da pressão arterial.

Portanto, na infância, percentil abaixo de 90 indica pressão arterial normal, entre 90 e 95, quadro de pré-hipertensão, e percentil acima de 95, sinal de que a hipertensão está instalada.

Antes de medir a pressão, a criança deve permanecer em repouso por 5 minutos, em ambiente tranqüilo, na posição sentada, com as costas apoiadas e sem cruzar as pernas, com o braço estendido na altura do coração e a bexiga vazia;.

RECOMENDAÇÕES:

O tratamento da hipertensão arterial infantil requer mudanças no estilo de vida dando preferência a alimentos saudáveis, praticar exercícios físicos

Fique de olho no rótulo dos alimentos para checar a quantidade de sódio por porção: o ideal é que tenham menos de 7% de sódio.

A hidratação merece atenção devendo consumir cerca de um litro e meio de água ao longo do dia;

Manter o peso adequado;

 

LEMBRANDO:

“ A pressão alta não tem cura, mas tem tratamento e pode ser controlada. Somente o médico poderá determinar o melhor método para cada paciente.“

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece gratuitamente medicamentos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e pelo programa Farmácia Popular. Para retirar os remédios, basta apresentar um documento de identidade com foto, CPF e receita médica dentro do prazo de validade, que são 120 dias. A receita pode ser emitida tanto por um profissional do SUS quanto por um médico que atende em hospitais ou clínicas privadas.

 

 

 

FONTE: https://drauziovarella.uol.com.br/pediatria/hipertensao-arterial-infantil/