Novembro Azul: mês mundial de combate ao câncer de próstata!!!

O câncer de próstata, tipo mais comum entre os homens, é a causa de morte de 28,6% da população masculina que desenvolve neoplasias malignas. No Brasil, um homem morre a cada 38 minutos devido ao câncer de próstata, segundo os dados mais recentes do Instituto Nacional do Câncer (Inca).

O que é a próstata?

É uma glândula do sistema reprodutor masculino, que pesa cerca de 20 gramas, e se assemelha a uma castanha. Ela localiza-se abaixo da bexiga e sua principal função, juntamente com as vesículas seminais, é produzir o esperma.

Sintomas:

Na fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas e quando alguns sinais começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura. Na fase avançada, os sintomas são:

• dor óssea;
• dores ao urinar;
• vontade de urinar com frequência;
• presença de sangue na urina e/ou no sêmen.

Fatores de risco:

• histórico familiar de câncer de próstata: pai, irmão e tio;
• raça: homens negros sofrem maior incidência deste tipo de câncer;
• obesidade.

Prevenção e tratamento:

A única forma de garantir a cura do câncer de próstata é o diagnóstico precoce. Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem estes fatores, devem ir ao urologista para conversar sobre o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula, como endurecimento e presença de nódulos suspeitos, e sobre o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico). Cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal. Outros exames poderão ser solicitados se houver suspeita de câncer de próstata, como as biópsias, que retiram fragmentos da próstata para análise, guiadas pelo ultrassom transretal.

Prevenir é o melhor remédio .. Faça parte desse Time, Não deixe, que o medo ou a vergonha sejam empecilhos para o cuidar da sua saúde..!!

 

FONTE : http://bvsms.saude.gov.br/ultimas-noticias/-novembro-azul-mes-mundial-de-combate-ao-cancer-de-prostata.

 

 

ANSIEDADE EM NOSSO DIA A DIA…

ansiedade é uma emoção normal do ser humano, comum ao se enfrentar algum problema no trabalho, antes de uma prova ou diante de decisões difíceis do dia a dia. No entanto, a ansiedade excessiva pode se tornar uma doença, ou melhor, um distúrbio de ansiedade.

Medo, insegurança e angústia são emoções que todo mundo sente em algum momento ou situação. Entretanto, indivíduos com transtornos de ansiedade (um dos mais incidentes na atualidade, ao lado da depressão) apresentam uma complexidade maior de sintomas. O modo como reagimos a esse agente stressante diferencia uma “ansiedade normal” de uma patologia. “ É utilizado o termo ‘transtorno’ porque ele se refere a algo que desorganiza a vida do indivíduo e gera um sofrimento excessivo. A pessoa passa a ter prejuízos em diversas esferas. Não consegue sair, manter um emprego, entre outras”, explica o psiquiatra Felipe Corchs, do Programa de Ansiedade do IPQ

A ansiedade e seus transtornos podem causar sintomas tanto mentais quanto físicos, que atrapalham o dia a dia de diversas formas. Veja quais são os principais:

Sintomas psicológicos: 

*Constante tensão * Sensação de que algo ruim vai acontecer *Problemas de concentração *

*Preocupação exagerada em comparação com a realidade * Problemas para dormir *Irritabilidade*

Sintomas físicos:

*Dor ou aperto no peito e aumento das batidas do coração *Respiração ofegante ou falta de ar *Aumento do suor *

*Tremores nas mãos ou outras partes do corpo *Sensação de fraqueza ou cansaço * Boca seca *Mãos e pés frios ou suados

*Náusea * Tensão muscular * Dor de barriga ou diarreia.

Em alguns casos, os sintomas físicos são tão intensos que podem ser confundidos com doenças como infarto e outros eventos cardiovasculares . Não se sabe ao certo por que algumas pessoas são mais propensas à ansiedade descontrolada do que outras. Alguns dos fatores que podem estar envolvidos nisso são genética, ou seja, histórico familiar de transtornos de ansiedade, ambiente,ou algum evento traumático ou estressante,mentalidade ou modelo de pensamento, ou seja, a forma como a pessoa estrutura seus pensamentos ou linhas de raciocínio e, consequentemente, encara as situações do dia a dia.

Remédios naturais

Alguns exemplos de remédios naturais que podem ser usados são:

  • Suco de maracujá, pois possui propriedades calmantes e ansiolíticas;
  • Chá de camomila devido à sua ação calmante;
  • Alface, porque ele ajuda a relaxar os músculos e o sistema nervoso
  • Tomar um banho morno para relaxar o corpo;

No entanto, se o paciente sofre de algum transtornos de ansiedade, O ideal é procurar ajuda médica partir do momento em que o distúrbio de ansiedade produz algum tipo de desprazer ou sofrimento, interferindo negativamente na qualidade de vida. Muitas pessoas costumam ter dúvidas em relação à busca do profissional, que pode ser um psicólogo ou um psiquiatra.

 

Fonte:https://www.minhavida.com.br/saude/temas/ansiedade

https://drauziovarella.uol.com.br/geral/por-que-estamos-tao-ansiosos/

 

Qual é a hora certa para comer?

… Nutricionistas indicam que as pessoas fica grandes intervalos de tempo sem comer,será que faz bem à saúde?

Devido a correria do dia-a-dia, falta de tempo,ficar em jejum por alguma horas deixa o metabolismo mais lento, todo dia,antes de você acordar, sua temperatura e pressão arterial aumentam, seu coração bate mais rápido, e numerosas glândulas liberam doses de hormônios de que você precisa para seguir adiante.Toda noite, antes de você ir para a cama, sua temperatura, batimentos cardíacos e pressão caem, e seu corpo produz um hormônio noturno chamado melatonina -hormônios do sono,pois nosso corpo é regido pelo trabalho dos hormônios, que funcionam de acordo com os horários do dia, quando não comemos na hora certa, a absorção de nutrientes não é tão eficiente para começar bem o dia, com mais disposição e energia.

Pode parecer ironia, mas os horários corretos são:

  • Café-da-manhã –  7h00 e 8h00.
  • Almoço – 12h30 e 13h30.
  • Lanche-da-tarde- 15h00 e 16h00.
  • Jantar -19h00 e 20h00.

O importante é não ficar mais de 3 (três) horas sem comer, pois nosso corpo funciona como uma máquina que precisa de combustível para exercer suas funções, nesse caso, o combustível para o corpo é o alimento, sendo a forma mais indicada para manter o equilíbrio corporal e os níveis de energia constantes.

Para finalizar, a alimentação correta e nos horários corretos, é importante para a saúde.

Se programe, no começo pode parecer difícil, mas o nosso corpo se adapta a qualquer situação que oferecemos a ele. Portanto, dar o primeiro passo e ver o resultado disso, depende da atitude e paciência de cada um.

 

Fonte:https://nutriexercicio.wordpress.com // www.mulherbeleza.com.br

https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude

 

Os riscos da automedicação à nossa saúde…

Imagem relacionada

É muito comum hoje que pessoas recomendem, induz e incentiva o consumo de determinado medicamento para amenizar as dores mais diversas que já utilizaram para os seus parentes e amigos, porém, o alívio dos sintomas após a automedicação nem sempre significa que houve um tratamento adequado e muito menos que o problema foi resolvido, pois a prática pode estar mascarando problemas mais sérios.

Sendo de extrema importância compreender que os nossos organismos não são todos iguais, portanto, reagimos de diferentes formas aos medicamentos.

A automedicação é gravíssima quando não tem o hábito de ler a bula,e muitos não entendem as informações contidas a respeito do medicamento,o consumo sem a consulta de um especialista (Médico) e por conta própria é altamente perigoso, trazendo complicações e fazendo com que o quadro de saúde se agrave com o surgimento de reações alérgicas não previstas, o desenvolvimento de uma dependência química, a intoxicação, e até mesmo, nos casos mais extremos, pode levar à morte da pessoa dificultando o diagnóstico por parte de um profissional.

Sendo assim, essa prática pode ser bastante prejudicial à saúde  evite o costume da automedicação Inadequada sem o conhecimento preciso da doença e seus sintomas.

Compartilhe os riscos da automedicação para que essa prática seja cada vez menos comum!

 

Fonte:https://minutosaudavel.com.br

 

Como evitar um infarto durante os jogos da Copa?

Quem tem doença cardiovascular ou histórico de problemas na família deve tomar mais cuidado com fortes emoções em época de jogo, não é mesmo pessoal???

Um estudo feito realizado na Inglaterra, durante os jogos da Copa de 1998 demonstrou esse risco.Conforme o levantamento, o número de atendimentos em decorrência de infartos do miocárdio aumentaram em 25% no dia em que a Inglaterra perdeu nos pênaltis para a equipe da Argentina, segundo a matéria publicada na revista médica “BMJ“

Em 2006, algo semelhante foi constatado na Alemanha, durante as partidas. Na Holanda em 1996 no campeonato europeu  também houve aumento de mortalidade cardiovascular associada a partida contra a França, disse a pesquisa.

Já na Copa de 2014, o número de internações por evento cardiovascular aumentou 28%”

Para fugir do risco a cada lance emocionante da partida, o ideal é controlar os fatores de risco antes do time entrar em campo:

  • Não se deve fumar nesses momentos de estresse, pois o cigarro aumenta o risco de eventos cardíacos
  • Evitar comidas como: churrasco com muito sal, embutidos, salgadinhos com muito sódio.
  • Evitar o excesso de cafeína.
  • Evite o consumo exagerado de bebidas alcoólicas.
  • Não esqueça de tomar a sua medicação diariamente conforme o recomendado antes da partida.
  • Pratique atividades físicas regularmente;
  • Caso se perceba excessivamente ansioso, deixe de ver o jogo.

Sintomas

O maior sintoma de um infarto é a “A sensação é de ‘aperto’ localizada no peito, à altura do coração. Essa dor é tão intensa que provoca suores frios, náuseas, vômitos e vertigens, ela costuma se irradiar para os ombros e braços geralmente o esquerdo, para a mandíbula, as costas, e a projeção do estômago no abdômen sendo estes os sintomas“ clássicos“.

Ao sentir qualquer sintoma, a pessoa mais próxima deve ser avisada e o paciente deve ser levado imediatamente para um serviço de emergência médica!!

NOTA : Essas Dicas, claro não são exclusivas para os JOGOS DA COPA, e sim valem para outros esportes ou Situações que toquem seu CORAÇÃO!!

Fonte:https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2018/06/como-evitar-um-infarto-durante-os-jogos-da-copa.

http://www.maisequilibrio.com.br/saude/como-evitar-um-ataque-no-coracao

Os inimigos invisíveis do coração

A depressão, a ansiedade e a síndrome do pânico, desordens mentais muitas vezes negligenciadas entre a família e os amigos devido ao desconhecimento que ainda existe sobre essas doenças, são um problema sério e cada vez mais comum. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), hoje existem mais de 350 milhões de deprimidos em todo o planeta.

Além dos sintomas intrínsecos ao quadro — tristeza profunda, isolamento social, falta de entusiasmo com a vida… —, a depressão (e mesmo o transtorno de ansiedade e a síndrome do pânico) agrava ou se soma a fatores de risco tradicionalmente reconhecidos como causadores das doenças cardiovasculares, caso de obesidade, tabagismo, pressão elevada, colesterol alto, diabetes, sedentarismo…

Um estudo interessante sobre o tema, conduzido pelo médico Kalil Duaillib, professor titular de psiquiatria da Universidade de Santo Amaro (Unisa), foi apresentado no último Congresso da Socesp (Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo) em 2017.

O trabalho deixa claro que o manejo do estresse e o tratamento da depressão — bem como da ansiedade e do pânico — contribuem para a redução da ocorrência de eventos cardiovasculares. Os riscos são concretos, uma vez que os problemas de origem mental estão associados a situações comprovadamente ameaçadoras para o coração.

Uma delas é a insônia, caracterizada pela demora excessiva para dormir, acordar com frequência durante o sono ou despertar antes do tempo adequado. Quem tem insônia e dorme por volta de seis horas por noite corre um risco 30% maior de desenvolver hipertensão no comparativo com pessoas com sono normal. Já quem tem insônia e dorme menos de cinco horas por noite enfrenta um risco 520% maior!

As pessoas com transtorno de ansiedade generalizada (TAG) apresentam, por sua vez, um risco 30% maior de ter uma doença cardiovascular.

Ao redor das dificuldades psicológicas rondam outros fatores nocivos ao sistema circulatório. No Brasil, assim como ocorre no México, vem aumentando de maneira expressiva o consumo de álcool pela população. Além disso, 1,5 milhão de brasileiros com mais de 18 anos fuma maconha todos os dias e 8,4 milhões o fazem quatro vezes por semana. Muitos desses comportamentos estão relacionados a depressão, estresse, ansiedade e síndrome do pânico. É preciso considerar também que o indivíduo deprimido não raro abandona o tratamento de uma enfermidade e tende a ingerir álcool e outras substâncias.

Repito: depressão, ansiedade e síndrome de pânico são problemas graves. Esses inimigos aparentemente invisíveis da saúde e do coração não são simples crises de tristeza, abatimento ante um fato pontual da vida ou melindre, temperamento e capricho, como às vezes são interpretados pela sociedade. Falamos de doenças que merecem máxima atenção, apoio e tratamento médico especializado. Inclusive pelo bem do coração.

* Jennifer de França Oliveira Nogueira é diretora executiva do Departamento de Psicologia da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp)

Texto publicado originalmente no https://saude.abril.com.br/blog/guenta-coracao/

Por que é importante cuidar o quanto antes do seu coração?

Estilo de vida saudável diminui ritmo de desgaste do coração.

Se você não se preocupa com fazer exames de rotina ou procura um médico somente em caso de sintomas comuns, chegou a hora de mudar.

Engana-se quem pensa que a idade de uma pessoa equivale à do coração. Hábitos como sedentarismo e tabagismo aceleram o envelhecimento do órgão. Em consequência, aumentam os riscos do surgimento de doenças cardiovasculares.

A obesidade, por exemplo, faz com que o coração seja mais exigido para bombear o sangue. Já o cigarro, como estamos cansados de saber, contém substâncias tóxicas que degeneram vasos sanguíneos, contribuindo para provocar hipertensão arterial.

Pessoas acima dos 50 anos apresentam maior incidência de doenças cardíacas. Conhecer os antecedentes familiares com problemas desse tipo ajuda na prevenção, assim como prevenir e tratar doenças que possam ter efeitos sobre o coração, como estresse e depressão.

Gênero também é um fator que merece atenção. “Há diferenças na manifestação de doenças cardiovasculares em homens e mulheres. Nos homens, acontece mais precocemente e nas mulheres com mais frequência após a menopausa”, aponta Dr. José Francisco Kerr Saraiva, cardiologista da PUC Campinas.

Após a menopausa, mulheres correm maior risco de doenças no coração porque o organismo perde a proteção hormonal oferecida pelo estrogênio, que estimula a dilatação dos vasos sanguíneos e facilita a circulação do sangue. Além disso, falhas na prevenção contribuem para a maior incidência. “Na menopausa, muitas mulheres se preocupam mais com a prevenção do câncer de mama e do câncer de útero, por exemplo, mas em geral se esquecem de que têm excesso de peso, diabetes e pressão alta”, avalia Saraiva.

Segundo a American Heart Association, idosos têm risco 60% maior de serem hipertensos e probabilidade de 70% de desenvolver doenças cardiovasculares em geral. “A principal doença valvar que surge com o envelhecimento é a estenose aórtica. Há uma dificuldade progressiva na abertura da válvula durante o batimento do coração, dificultando o escoamento do sangue”, explica o cardiologista do Hospital de Clínicas da Unicamp, Dr. Rodrigo Modolo.

Algumas doenças congênitas podem não causar sintomas imediatos, mas requerem tratamento para impedir a progressão. “Doenças como a comunicação interventricular (CIV), comunicação interarterial, defeitos nas válvulas do coração, entre outras, causam degradação progressiva, e sem tratamento podem levar à falência do órgão em longo prazo”, alerta o Dr. Saraiva.

As doenças cardiovasculares são responsáveis por 29,4% de todas as mortes registradas no Brasil em um ano, segundo dados do Ministério da Saúde. Esse número representa mais de 300 mil mortes. No mundo todo, os problemas cardíacos causam a morte de 7,2 milhões de pessoas a cada ano, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Evite alguns fatores reconhecidamente de risco, como alta ingestão de gordura e falta de atividades físicas. E não se esqueça de controlar as doenças crônicas, como diabetes e pressão alta.

FONTE: https://coracaoalerta.com.br/infarto-2/fatores-de-risco/por-que-e-importante-cuidar-o-quanto-antes-do-seu-coracao/

Nutrólogo sugere dieta para controlar colesterol

Daniel Magnoni, nutrólogo e cardiologista do Hcor, explica que consumir com regularidade fibras, ômega 3 e antioxidantes pode gerar muitos benefícios para a saúde cardíaca. Confira algumas dicas do especialista sobre como incluir essas e outras substâncias benéficas ao coração nas três refeições, além de aprender como evitar a dose extra de gordura e calorias dos lanches e guloseimas.

 1. Café com pão integral, frutas e cereais

Para o café da manhã, a dica do Dr. Magnoni é dar preferência ao pão integral que é rico em fibras e menos calórico. Outra orientação é ingerir frutas como acerola, morango e laranja. Ricas em vitamina C, elas possuem ação antioxidante, que diminui o risco de acúmulo de placas de gordura no interior das artérias e acabam sendo bastante eficazes na prevenção da aterosclerose. Outra fruta benéfica ao coração é o abacate. “Ele ajuda na redução da taxa de homocisteína no sangue, cujo excesso compromete a circulação e aumenta o risco de coágulos ou de entupimento das artérias”, explica. “Vale lembrar que frutas ricas em potássio, como a banana, também ajudam a proteger a musculatura que forma o coração”. Os cereais, como aveia, quinoa, chia e sementes de linhaça, também podem ser incluídos.

Dr. Magnoni ainda lembra que as margarinas e cremes vegetais, que antes eram tidas como vilãs por conterem gordura trans, hoje podem ser aliadas. “Como essa substância não é mais utilizada na composição desse alimento, as margarinas de hoje em dia podem ser benéficas ao coração, já que são uma fonte de gorduras poli-insaturadas”, diz o médico. “Contudo é importante tomar cuidado com os excessos, afinal, elas são bem calóricas”.

 2. Almoce peixe

Para o almoço, a sugestão do nutrólogo é o peixe. Segundo ele, uma das atitudes mais saudáveis que se pode tomar é trocar regularmente a carne bovina, de porco ou mesmo a de frango, por atum, salmão, sardinha ou anchovas, por exemplo. Esse tipo de alimento tem pouca gordura saturada – que eleva os níveis de colesterol ruim – e ainda oferece gorduras boas, como o ômega 3. “Uma dica ainda mais saudável é consumir peixes acompanhados de ingredientes como tomate e azeite, que também são benéficos à saúde cardíaca. O alho, que sempre está presente na hora do almoço, também contribui. Ele é rico em duas substâncias: alicina e ajoene. Ambas fluidificam o sangue, diminuem a pressão arterial e dificultam a coagulação sanguínea”, explica o cardiologista.

 3. Salada com muito azeite no jantar

Durante o jantar, o Dr. Magnoni sugere algo mais leve, como uma salada temperada com muito azeite extra virgem. “A dica é ingerir uma colher de chá de azeite extra virgem por dia como tempero para salada ou como acompanhamento para fatias de pão”. O tomate, já recomendado no almoço, pode entrar também no jantar. “É um tipo de antioxidante que limpa as artérias e bloqueia radicais livres”, explica o médico do HCor.

 4. Beba suco de uva natural ou vinho tinto

Segundo o Dr. Magnoni, suco de uva natural, ou mesmo uma taça de vinho tinto ao final de cada refeição, podem ser uma boa pedida para o coração. Ricos em resveratrol, ambos previnem o envelhecimento das células e combatem o colesterol ruim. “O resveratrol pode ser encontrado também em forma de cápsulas. Nesse caso, a recomendação é ingerir de 250 a 500 mg da substância por dia, o que equivale a uma taça de vinho tinto”, revela o especialista.

Transforme essas dicas em referência para sua alimentação cotidiana, até pegar o hábito. Vale a pena. “Ao procurarmos incluir todos os alimentos que acabamos de mencionar em nossa dieta e moderando o consumo de outros mais calóricos e gordurosos, podemos reduzir o risco de doenças cardíacas em até 80%”, conclui o Dr. Magnoni.

FONTE: https://coracaoalerta.com.br/alimentacao/nutrologo-sugere-dieta-para-individuos-com-colesterol-elevado/?catsel=

Doenças e Sintomas: Hipertensão

Hipertensão é uma doença democrática que acomete crianças, adultos e idosos, homens e mulheres de todas as classes sociais e condições financeiras. Popularmente conhecida como “pressão alta”, está relacionada com a força que o sangue faz contra as paredes das artérias para conseguir circular por todo o corpo. O estreitamento das artérias aumenta a necessidade de o coração bombear com mais força para impulsionar o sangue e recebê-lo de volta. Como consequência, a hipertensão dilata o coração e danifica as artérias.

Os valores da pressão arterial não são sempre os mesmos durante o dia. Geralmente caem, quando dormimos ou estamos relaxados, e sobem com a atividade física, agitação, estresse.

Considera-se hipertensa a pessoa que, medindo a pressão arterial em repouso, apresenta valores iguais ou acima de 14 por 9 (140mmHg X 90mmHg). Hipertensos têm maior propensão para apresentar comprometimentos vasculares, tanto cerebrais, quanto cardíacos.

Sintomas

Hipertensão arterial é doença traiçoeira, só provoca sintomas em fases muito avançadas ou quando a pressão arterial aumenta de forma abrupta e exagerada. Algumas pessoas, porém, podem apresentar sintomas, como dores de cabeça, no peito e tonturas, entre outros, que representam um sinal de alerta.

Tratamento

O objetivo do tratamento deve ser não deixar a pressão ultrapassar os valores de 12 por 8.

Nos casos de hipertensão leve, com a mínima entre 9 e 10, tenta-se primeiro o tratamento não medicamentoso, que é muito importante e envolve mudanças nos hábitos de vida. A pessoa precisa praticar exercícios físicos, não exagerar no sal e na bebida alcoólica, controlar o estresse e o peso, levar vida saudável, enfim.

Como existe nítida relação entre pressão alta e aumento do peso corporal, perder 10% do peso corpóreo é uma forma eficaz de reduzir os níveis da pressão. Por exemplo, a cada 1kg de peso eliminado, a pressão do hipertenso cai de 1,3mmHg a 1,6mmHg em média.

Se o indivíduo tem a pressão discretamente aumentada e não consegue controlá-la fazendo exercícios, reduzindo a ingestão de bebidas alcoólicas e perdendo peso, ou se já tem os níveis mínimos mais elevados (11 ou 12 de pressão mínima), é necessário introduzir medicação para deixar os vasos mais relaxados.

Todos os remédios para hipertensão são vasodilatadores e agem de diferentes maneiras. Os mais antigos, entre eles os diuréticos, por exemplo, se no início fazem a pessoa perder um pouquinho mais de sal e de água, também ajudam a reduzir a reatividade dos vasos. Os mais modernos costumam ser mais tolerados e provocam menos efeitos colaterais.

É sempre possível controlar a pressão arterial desde que haja adesão ao tratamento. Para tanto, o paciente precisa fazer sua parte: tomar os remédios corretamente e mudar os hábitos de vida.

Recomendações

* Não pense que basta tomar os remédios para resolver seu problema de pressão arterial elevada. Você precisa também promover algumas mudanças no seu estilo de vida;

* Coma sal com moderação. Ele é um mineral importante para o organismo e não deve ser eliminado da dieta dos hipertensos. Esqueça, porém, do saleiro depois que colocou a comida no prato e evite os alimentos processados que, em geral, contêm mais sal. Precisam tomar muito cuidado com a ingestão de sal os negros, as pessoas com mais de 65 anos de idade e os portadores de diabetes, porque são mais sensíveis ao mecanismo de ação do sal.;

* Adote dieta rica em frutas, cereais integrais e laticínios com baixo teor de gordura. Assim, você estará ingerindo menos sódio e mais potássio, cálcio e magnésio, nutrientes necessários para quem precisa baixar a pressão;

* Não fume. Entre outros danos ao organismo, o cigarro estreita o calibre das artérias, o que dificulta ainda mais a circulação do sangue;

* Saiba que o estresse pode aumentar a pressão arterial. Atividade física, técnicas de relaxamento, psicoterapia podem contribuir para o controle do estresse e da pressão arterial;

* Não interrompa o uso da medicação nem diminua a dosagem por sua conta. Siga as indicações de seu médico e tome os remédios rigorosamente nos horários prescritos;

* Meça a pressão arterial com regularidade e anote os valores para que seu médico possa avaliar a eficácia do tratamento;

* Não esqueça que hipertensão é uma doença crônica e que complicações podem ser prevenidas com o uso de drogas anti-hipertensivas e mudanças no estilo de vida.

 

FONTE: https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/hipertensao/