Alerta: Inverno faz aumentar risco de infarto e Avc..

Segundo Ministério da Saúde*, o número de infartos e Avc aumenta em até 30% no frio;

Com a chegada do frio, o cenário se torna ainda mais perigoso para os que sofrem com doenças cardiovasculares, onde a principal reação do organismo ao frio é a vasoconstrição, que nada mais é que o estreitamento dos vasos sanguíneos, para manter o corpo aquecido, o coração passa a “trabalhar” mais, havendo uma necessidade de acelerar o metabolismo, para esse processo, entram em cena substâncias, como a adrenalina, que levam à contração dos vasos sanguíneos, obrigando o coração a fazer mais força para bombear o sangue, nas baixas temperaturas, o aumento da pressão sanguínea, faz sobrecarregar o coração, facilitando o desprendimento de placas de gordura localizadas no interior das artérias, que podem bloquear o fluxo do sangue para o coração e para o cérebro, isso acontece porque o organismo tem um termostato natural que faz de tudo para manter o corpo com cerca de 36Cº, como forma de proteger o funcionamento dos órgãos vitais, esta reação acaba por aumentar a pressão arterial, potencializando os riscos de infarto, principalmente a quem faz parte de grupos de risco, como: obesos, fumantes, hipertensos, diabéticos e pessoas com colesterol elevado.

 Para piorar, com esse tipo de clima as pessoas acabam tomando menos água, o que deixa o sangue mais viscoso e pode levar a um aumento na pressão sanguínea.

Sinais do infarto

Dor no peito: a maioria dos casos apresenta dor no peito que dura alguns minutos ou vai e vem, pode ser como uma pressão desconfortável, dor, aperto ou opressão;

Desconforto ou dormência em outros locais: braços, costas, pescoço, mandíbula ou estômago.

Falta de ar: mesmo sem dor no peito; sudorese fria, náuseas, vômitos e visão turva.

 Sinais de AVC 

Dormência súbita ou fraqueza da face, braço ou perna, especialmente de um dos lados do corpo;

Confusão súbita, fala ou compreensão difíceis, perda de visão em um ou ambos os olhos, dificuldade  de andar, tonturas, perda de equilíbrio e coordenação;

Dor de cabeça súbita e intensa, sem causa aparente

RECOMENDAÇÃO

Manter Hidratado.

Manter-se bem agasalhado.

Prática de exercícios leves, evitando ambientes com a temperatura abaixo de 14Cº,com exposição prolongada ao frio intenso e o choque térmico causado pelas quedas bruscas de temperatura.

Evitar o consumo excessivo de alimentos com gordura saturada, açúcar e sal ajudando a controlar os níveis de colesterol no sangue, a glicemia e a pressão arterial

Não fumar;

Evite abusar do álcool.

Evite a automedicação e ao sinal de qualquer um dos sintomas, de infarto ou Avc  o paciente deve ir imediatamente a um serviço de emergência para que seja avaliado…

Sempre realizar exames preventivos e seguir orientação médica para controle da hipertensão arterial, diabetes, colesterol e triglicerídeo, caso possua histórico de doenças cardíacas ou faça parte de um grupo de risco, consultar um cardiologista, pelo menos, uma vez ao ano.

Fonte: http://g1.globo.com/bemestar  http://www.socesp.org.br